CONHEÇA O PROGRAMA
ESCOLA DA FAMÍLIA

LEGISLAÇÃO / REGULAMENTO

CHAMAMENTO PÚBLICO IES

Depoimentos


Quer contar a sua experiência ou curiosidade relacionada ao Programa? Envie sua mensagem, de até 15 linhas, com nome, telefone, escola e DE para o nosso e-mail:
escoladafamilia@fde.sp.gov.br

Esta seção é seu espaço para relatar suas experiências, opiniões, sugestões e também trocar idéias sobre o Programa Escola da Família.


 

Roselene Cezar
Técnica de Atendimento
Ex-educadora Universitária da EE Dionysia Gerbi Beira, em Amparo
DE Mogi Mirim

As pequenas grandes histórias de cada um

Fui Educadora Universitária na EEPSG "Dionysia Gerbi Beira", na Diretoria de Ensino de Mogi Mirim. Na escola, fizemos várias campanhas de arrecadação de alimentos e distribuímos cestas básicas para famílias carentes, fazíamos festas na escola para atrair mais crianças, entre outras atividades. É maravilhoso poder ter feito parte do Programa Escola da Família, só tenho a agradecer.
Na época, nosso Educador Profissional, Braz, que hoje, infelizmente, não está mais no Programa, escreveu um texto muito significativo, que gostaria de compartilhar com vocês:

As histórias pessoais são muito valorizadas hoje em dia. Porém, elas muitas vezes têm valor apenas quando contam com a mídia, que as transforma em mais um objeto de consumo fácil.
Assim, histórias dignas, que revelam grandezas, em termos de superação e conquistas, se tornam apenas uma simples história, quando comparada com essas outras, carentes de conteúdo, mas que obedecem a lei do mercado.
Aqui, no Programa Escola da Família, não pensamos assim. Cultivamos um sonho em que o individual será promovido quando o coletivo puder melhorar o dia-a-dia, e valorizamos a história de cada um.
Cada vez que alguém passa pelo portão da escola, traz sua história pessoal, com sonhos, anseios e desejos. Sabe que, aqui dentro, pode fazer a receita para transformar o mundo, com amizade, cooperativismo, respeito às diferenças e a certeza de que haverá um futuro onde o indivíduo não precise da mídia para se promover.

 

Marcos Antonio Moreira da Costa
Educador Voluntário na EE Abílio Alves Marques de Bebedouro – SP
DE Jaboticabal

Depoimento de um voluntário

Meu nome é Marcos Antonio Moreira da Costa, faço parte do quadro de Voluntários do Programa Escola da Família, desde 23 de agosto de 2003. Nesses cinco anos, compartilhei e qualifiquei vários participantes, sendo que os mesmos já estão trabalhando, ganhando seu sustento e o de sua família.

Dentro deste projeto, obtive desenvoltura, trabalhei o cooperativismo, ajudei a tirar muitos jovens das ruas e dos vícios, juntamente com nossa Educadora Profissional, Maria Claudia.

Visto esta camisa, sou muito feliz e tenho orgulho deste belíssimo projeto. A Educação, a inclusão social, ajuda toda a comunidade e é um benefício que não tem preço, pois vemos no dia-a-dia o sorriso estampado em cada rosto, e o orgulho que cada participante demonstra pela acolhida junto à nossa família.

Quero agradecer imensamente a todos: Coordenação, Direção, Voluntários e Universitários que ajudam a desenvolver um excelente trabalho com muita garra e dedicação, pois se não houvesse este belíssimo projeto aos finais de semana qual seria o futuro de nossos jovens?
Agradeço também ao Governo do Estado, por cada vez estar mais presente e valorizando este belíssimo projeto.

Parabenizo a nossa Gestora Maria Idalina Gonçalves e, principalmente, a nossa Educadora Profissional Maria Cláudia, pela organização e profissionalismo com que conduz o Programa na Escola Estadual Abílio Alves Marques de Bebedouro – SP.

 

Viviane Rose Machado
Educadora Universitária da EE CEL. Pedro Dias de Campos
DE Votorantim

“As pessoas que vencem nesse mundo são aquelas que se levantam e procuram o que querem, e que, se não o encontram, fazem-no. ’’
Bernard Shaw

Os últimos anos, apesar de difíceis e cansativos, foram de muita experiência e alegria. Só quem fez parte dessa Família sabe o que é estar todos os finais de semana, das 9h às 17h, firme em uma escola. Mas mesmo com vontade de, às vezes, sair correndo, existe algo maior, um sentimento sincero que retribui o sacrifício.

Vivi essa experiência por três anos e digo, com orgulho, que hoje sou uma pessoa diferente. A convivência com a comunidade e o vínculo de amizade criado entre todos os participantes do Programa Escola da Família me fizeram crescer. Tive momentos difíceis, mas nenhum se compara às grandes alegrias e conquistas.

Cada final de semana era um momento novo, de descoberta, uma vontade de ajudar e participar. Cada brilho no olhar das crianças, que já me esperavam quando eu chegava na escola, me fez percorrer essa caminhada até o fim.

Aprendi a dar mais valor às pequenas coisas, percebi que não é preciso muito para ser quem somos. Às vezes, apenas lápis de cor, papel e imaginação para tirar de um rostinho triste o sorriso puro e singelo.

Tive muitos objetivos alcançados, peças de teatro apresentadas, brincadeiras alegres, histórias lidas naquelas tardes chuvosas, olhares surpresos ao descobrir uma nova palavra em inglês, sorrisos ao aprender, enfim, a ler e a escrever. Além disso, o Programa contribuiu para a realização do meu sonho de cursar uma faculdade.

Hoje posso dizer que sou professora graças ao Escola da Família. Não só pela bolsa, mas pela experiência adquirida, pelo carinho recebido dos meus pequenos alunos. Alunos que jamais esquecerei, que farão parte de minha vida, pois pretendo continuar dando oficinas.
Não posso dizer que terminei meu projeto no Programa, ele apenas começou. Sentiria muita falta se não pudesse ficar ao lado desses pequenos anjinhos da escola, que contribuíram para a minha formação pessoal e profissional, deixaram suas marquinhas em meu coração, fizeram-me uma pessoa melhor a cada abraço após um dia de trabalho.

Obrigada a todos que fizeram parte de minha vida, que me ensinaram e me ouviram. Obrigada pela amizade, pela paciência, pelas críticas construtivas. Agradeço a todos, sem exceção, aos educadores profissionais, excelentes “chefes”, aos universitários, grandes amigos, aos meus alunos, que me ensinaram muito e à comunidade, pela participação e contribuição nos momentos em que precisei de ajuda. Agradeço a Deus por esse presente em minha vida, à minha família pela força e ao Programa Escola da Família pela oportunidade.

 

Gisele Aparecida Pereira da Silva, ex Educadora Universitária da Escola Amélia Cesar, Diretoria de Ensino de Sorocaba

“Tudo o que fazemos para ajudar o próximo, pela própria lei da natureza, nos é devolvido em dobro”

Quero agradecer a oportunidade de estar num projeto gratificante, importante não só na vida das comunidades, mas na dos Educadores Universitários. Participar do Programa Escola da Família foi de grande valia para a minha vida. Aqui encontrei pessoas especiais, vivenciei momentos que guardarei no coração.
Não nego que, no inicio, vivi momentos difíceis. Sou apegada à minha família e, como trabalhava a semana inteira, mal conseguia estar com ela. Às vezes me sentia até excluída por não estar nos encontros familiares...

Pensei em desistir, mas como Deus sempre esteve ao meu lado e me presenteou com a bolsa, eu pensava: como desistir de um presente valioso, que levarei por toda a vida: minha FACULDADE?

Às vezes me deparei com pessoas, eu mesma, que não valorizam as oportunidades. Hoje entendo isso melhor do que nunca. Estou no último ano de Pedagogia e, graças a Deus e ao Programa, desde o inicio sou bolsista e trabalho em minha área.
Foi no Escola da Família que descobri ter umdom tão lindo. Quando comecei a  trabalhar no Programa, em uma escola na periferia de Sorocaba, onde há muitas crianças carentes, tive um grande desejo de fazer dos meus estudos algo melhor do que ser apenas uma estagiária de pedagogia. Senti a necessidade imensa de estar perto dessas crianças e fazer mais, todos os dias. Me interessei por trabalhos sociais e, desde então, trabalho em uma instituição filantrópica para crianças carentes e de risco.

Aprendi muito, muito mesmo, no Programa Escola da Família. Valores que não têm preço para a minha vida profissional, pessoal e até espiritual, pois aqui encontrei pessoas e situações que me trouxeram um crescimento enorme. Aprendi a olhar os corações das pessoas, aprendi que de lá extraímos o que temos de melhor. O Programa não me trouxe apenas uma faculdade, mas o sol e a luz para o meu caminho.

Despeço-me com satisfação e a alegria de ter sido uma Educadora Universitária. Acredito que não fui um exemplo, mas procurei me esforçar bastante. Hoje tenho condições de pagar meu último ano de faculdade e darei oportunidade para novos bolsistas.

A vocês, Educadores Universitários que começam agora ou que ainda permanecem, não desistam dessa oportunidade única.
Agradeço a todos do Programa, em especial a Iara,Talita e Rosenilda, responsáveis pelo Projeto da Diretoria de Ensino de Sorocaba, à Márcia, ao Gestor Sérgio Vasconcelos, à Carol e ao Gestor Edson, da escola Amélia César, por sempre me apoiarem, e a todos aqueles que se tornaram amigos.

 

Henrique Sousa da Silva, ex-educador universitário da E.E. Fabíola de Lima Goyano, DE de Diadema

“O melhor emprego da minha vida”

Caro leitor,

Tive ótimas experiências no Programa Escola da Família. A melhor delas é que participei do projeto da Escolinha de Futsal, a atividade com maior público na escola. Junto com meu companheiro Nildo, que se tornou um grande amigo e hoje é meu padrinho de casamento, realizamos campeonatos e atividades não só com o futsal, mas nas oficinas também.

Considero o Projeto como o melhor emprego da minha vida, porque eu fazia o que gostava (Professor de Educação Física), somente 2 vezes por semana, das 9h às 17h, perto da minha casa, ganhava uma bolsa integral na faculdade e, o melhor de tudo, tive a primeira experiência de ser chamado de professor.

Sou muito grato por ter participado do Programa. Recomendo-o a todos que não têm condições de pagar uma faculdade, o que não é barato, e digo que valeu a pena o esforço. Fiquei no Programa Escola da Família durante o ano de 2006 e em 2007 consegui outra bolsa de estudos. Mas sempre retorno à escola onde atuei, que fica perto da minha casa, em Diadema, para rever meus alunos.

 

Jaqueline H. da Rocha
Ex. Educadora Universitária
EE Professora Neyde Apparecida Sollitto
DE Sul 1

"Sonhar, parte da vida;
Objetivo, visão do futuro;
Oportunidade, escolha do presente;
Sucesso, fruto de um caminho percorrido;
Mérito, meta alcançada;

Saber sonhar é conquistar, com perseverança, um futuro de sucesso, superando os desafios que encontramos em nossa caminhada. Porque somente os valentes lutam por um objetivo, somente encontramos riquezas se tivermos as ferramentas da solidariedade para construir um mundo melhor.
Como dizia William Shakespeare, “Você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida”.
Minha experiência no Programa Escola da Família foi de grande valia, tanto profissional como pessoal. Acredito muito nessa magnífica iniciativa, porque vai além de um sonho - a conquista da graduação. Não há dinheiro que pague os momentos compartilhados, o desenvolvimento dos laços de solidariedade, a satisfação de um trabalho em equipe realizado com êxito.
Fazer parte desse projeto foi muito gratificante, percebi o quanto vale a pena participar de projetos sociais, a importância de fazer a diferença e não ser apenas mais um. Para isso, é preciso muita perseverança, dar o melhor de si, acreditar no futuro do próximo, fazer valer o próprio trabalho com todo o comprometimento possível.
O brilho do sucesso é conseqüência de um caminho percorrido. E meu objetivo de vida é fazer a minha estrela brilhar, valorizando o trabalho digno, acima de tudo, porque dele que podemos semear a esperança e chegar ao maior patamar: A conquista de um objetivo! 

 
Nilton César Perez
Voluntário
Idade - 28 anos
Cidade – Severínia - SP
E.E. José Marcelino de Almeida
Diretoria de Ensino de Barretos
Setembro 2008

Depoimento de Voluntário
Quero relatar minha experiência como educador universitário do Programa Escola da Família, como um dia já fui, e hoje, como voluntário no projeto de informática. Quantas lembranças vêm-me à mente. Impressionante como, às vezes, não nos damos conta das relações que a vida estabelece como o grande desafio atual, e com certeza duradouro, de transformar um grupo de pessoas em uma equipe, trabalhando de maneira coesa, e buscando resultados. Isso só foi possível com o Programa Escola da Família, desenvolvido na escola E.E. “José Marcelino de Almeida”, de Severínia. O programa me mostrou que a única forma de construir esse caminho não é levantando paredes, mas estabelecendo pontes que unam, completem , aproximem. Tomar consciência de nosso modo de agir é meio caminho andado para o crescimento pessoal e profissional. O Programa Escola da Família, em nossa escola, é dinâmico e diferenciado. Há grande participação nos projetos integrando a comunidade intra e extra escolar. Datas festivas não são esquecidas e sempre há projetos de integração. A direção da escola, juntamente com a educadora profissional, é bastante comprometida, incentivando todas as atividades e se preocupando também com problemas e ansiedades dos alunos. O Escola da Família continua sendo um programa em que tanto as famílias, quanto alunos depositam muita esperança, acreditando que possa melhorar a vida de quem passa por ele. As crianças e jovens nele encontram estímulo e as ferramentas para continuar estudando. O Programa Escola da Família e a equipe escolar da E.E. “José Marcelino de Almeida”, sempre estão juntos em favor de toda a comunidade.

 
Alexandre Eder Ehrenberg
Educador Profissional
EE Profª Lais Amaral Vicente
Diretoria de Ensino Região Sul 1

Setembro /2008

"Eu, Alexandre Eder Ehrenberg, educador profissional da EE. Profª Lais Amaral Vicente, situada à Rua Taquacetuba, 214, Jabaquara, DE Região Sul 1, São Paulo – SP, venho por meio deste relatar os dois últimos eventos relacionados ao eixo saúde, referente à castração de animais domésticos. Tais eventos só foram possíveis devido a duas parcerias de fundamental importância na área: as ONGs Quintal de São Francisco e Clube das Pulgas. Os eventos mencionados ocorreram nos dias 24 de maio, 05 e 06 de julho do corrente ano. Em todos os eventos que a equipe organiza e realiza, sempre há a prioridade da divulgação dos mesmos junto à comunidade. Por tratar-se de atividades muito procuradas, uma semana antes são realizadas as inscrições dos animais a serem castrados, juntamente com a documentação do responsável pelo mesmo. A divulgação segue um cronograma pré-estabelecido para a qual há ampla distribuição de folhetos explicativos. Foram realizadas 318 castrações, total que diminuirá a quantidade dos animais abandonados do entorno escolar, colaborando para a melhoria da Saúde Publica. Aproveitando a oportunidade, gostaria de agradecer a participação e o empenho das ONGs, pois sem elas nada seria possível; à Supervisora e ao ATP do Programa Escola da Família da Diretoria de Ensino Região Sul 1, Neuza e Luiz, assim como a todos os monitores educacionais, Sergio, Cidinha, Justina, Vicente, Sr. Rosalvo, Maria Zilma e Ricardo; aos Educadores Universitários e ao Gestor George dessa unidade escolar, que sempre trabalharam junto à comunidade com muita dedicação e empenho”.

 

EE. Profª Nair Hiroko Konno Hashimoto
Diretoria de Ensino Região Sul 1
Sergio Antonio do Nascimento Professor de Educação Física, Educador Profissional e Faixa preta de Karatê 5º Grau.
Rogério Gomes da Silva Ex-Educador Universitário P.E.F, Educador Voluntário P.E.F. Faixa marrom de karatê.
Setembro 2008

Programa Escola da Família
LUTANDO PELA PAZ

Era um sábado chuvoso, tipicamente paulistano. Chega um rapaz à escola, ar de desconfiança, olha para um lado, para o outro, encosta no portão principal que estava entreaberto e lá fica imóvel. Eu montava a mesa de ping-pong, ou melhor, improvisava, colocando seu tampo sobre algumas cadeiras escolares, porque os pés originais da mesma já não existiam mais. Em meio a essa dificuldade, chamo-o. Antes de vir ao meu encontro, ainda olha para traz para ver se eu estava falando com outra pessoa, e, vagarosamente, ajuda-me a suspender o tampo da mesa.

Ficamos em silêncio; pergunto se posso ajudá-lo, já adivinhando que se tratava de um educador universitário, indicado para minha U.E, pois, durante todo o tempo em que auxiliou na montagem da mesa, segurava na mão esquerda o documento de encaminhamento. Sem nenhuma palavra, entregou-me o documento, Rogério Gomes é seu nome.

Apresento-me e, enquanto educador profissional, levo-o para conhecer as dependências da unidade escolar. Sempre com aquele olhar distante, ouve atentamente as minhas explicações sobre o dia-a-dia do programa. Deixo-o na quadra esportiva com o voluntário de futsal, que, naquele momento, estava no meio de uma aula para meninas.

Completando duas semanas no programa, venho a descobrir que o universitário Rogério cursava Administração de Empresas, curso escolhido ao acaso, por ter maior número de vagas e atender ao seu propósito: sair de casa por algum tempo, como forma de fugir dos problemas familiares e dos conflitos com o padrasto.

Tentei alocá-lo em várias oficinas, mas apresentava uma inibição muito grande no relacionamento com as pessoas, ao desenvolver um trabalho social.

Com o passar do tempo, reparei que ele sempre parava na porta da sala e ficava assistindo à minha aula de karatê. Resolvi chamá-lo para me auxiliar, segurando os protetores de chute ou batendo corda. A cada semana, ele ficava mais motivado pela arte; passou a se dedicar diariamente à prática do karatê em uma academia, ajudando-me mais durante as aulas.

Tomando iniciativa, solicitou-me a abertura de um curso de karatê para iniciantes, ministrado por ele. Em um mês, já tinha cinqüenta alunos inscritos. As mudanças comportamentais das crianças eram perceptíveis, chamando a atenção dos pais e da direção da U.E, que passou a dar maior apoio ao trabalho desse universitário.

Nossa admiração por Rogério aumentou sobremaneira quando conseguiu incluir o aluno Caio dos Santos no curso. Com onze anos de idade, Caio era uma criança que havia passado por oito cirurgias em ambas as pernas e utilizava uma prótese para auxiliar na sua locomoção. Com autorização do médico, Rogério solicitou minha assistência, enquanto professor de educação física, e adaptou diversos movimentos do karatê para que o aluno pudesse participar. Hoje, depois de três anos, essa criança se locomove com mais segurança, joga futebol, e participará do seu primeiro campeonato de karatê. Pode-se dizer que está novamente socializado e os colegas o incluem nas atividades escolares. Sem dúvida, esse educador universitário fez e faz a diferença!

Foi uma grata surpresa descobrir a dedicação e a competência desse Educador Universitário. Durante minha vida enquanto atleta – consagrei-me Hexa-campeão Paulista, Tetra campeão Brasileiro e Sul-americano, vice-campeão mundial, atualmente sou vice-presidente da Confederação Brasileira de Karate Goju-Ryu – jamais pensei que um trabalho social com o karatê pudesse interferir tão positivamente na vida de uma pessoa.

Atualmente, o Educador Rogério concluiu o curso de Administração de Empresas com a ajuda do Programa Bolsa Universidade do Programa Escola da Família; iniciou o curso superior de Educação Física, continua a lecionar Karatê no Programa Escola da Família e já está fazendo estágio em uma conceituada escola privada como professor de Karatê.

No momento, temos o objetivo de realizar um evento com todos os participantes de todas as Diretorias de Ensino, contempladas com o Programa Escola da Família, que desenvolvam em suas Unidades Escolares oficinas de artes marciais. Já temos toda estrutura e apoio da confederação de Karatê para realização desse evento, só faltando a autorização do Programa Escola da Família. Poderíamos incluir esse evento nas comemorações do centenário da Imigração Japonesa no Brasil. Já temos o apoio de professores voluntários de karatê, das Diretorias de Ensino Região Sul-1, Taboão da Serra, São Vicente, Mogi das Cruzes, Bauru, Caraguatatuba, Sul-2, Guarulhos e Campinas.

 

Tatiane Bertoni
Educadora Universitária da EE Ruy Rodrigues
DE Campinas Oeste

Fui formada pelo Programa Escola da Família

Gostaria de contar um pouco sobre minha experiência aqui no Programa Escola da Família. Fiquei sabendo do Programa por uma amiga minha. Eu passava por um momento de dificuldade, meu pai não iria conseguir pagar meus estudos, eu trabalhava e pagava a mensalidade, mas a cada dia se tornava mais difícil estudar e trabalhar - eu trabalhava com vendas e sofria muita cobrança.

Quando soube do Programa Escola da Família, agarrei a oportunidade com unhas e dentes! De imediato consegui ser aprovada pela Diretoria de Ensino e pela faculdade. Lembro como se fosse hoje, dei um escândalo, chorei no meio da faculdade, pois era o ultimo dia da entrega dos papeis, um sábado, a recepcionista não agüentando mais me ver chorar!...

Comecei a atuar no Programa em 2005 e hoje, 2009, conclui meu curso. Já sou quase uma Nutricionista! Tenho muito orgulho em dizer a todos que fui formada pelo Programa Escola da Família, pois é um projeto que oferece vários benefícios à comunidade, no qual encontramos uma realidade que a mídia não mostra. Encontramos o carinho das crianças, a compreensão e nos apaixonamos a cada fim-de-semana.

Posso dizer que amo o que faço e amo ser uma Educadora Universitária. Sou muito feliz e grata aos meus educadores: Teresinha (Ruy), Lucimara (Major Adolpho Rossin), Emanoel (Nilton), Márcia (Ruy), Ana (Adolpho Rossin) e Renata (Ruy) e Sr. Tavares (Ruy). Todos foram grandes parceiros no andamento dos projetos.

Agradeço especialmente ao Programa Escola da Família, por essa oportunidade que ajuda muitos jovens a realizarem seus sonhos.

Obrigada!

 

Guilherme H. S. de Lima – Educador Profissional – EE Prof. Bento de Siqueira - DE Catanduva - SP

De Universitário a Educador Profissional

Gostaria de compartilhar minha história.
Eu estava terminando o primeiro ano de faculdade de Educação Física quando surgiu o Programa Escola da Família. Logo me interessei pela bolsa, mas, no mesmo dia, comecei a pensar “vou perder meus sábados e domingos... não vou querer participar de um Programa desses”.  Porém, a dificuldade financeira falou mais alto, me inscrevi e fui aceito para participar do Programa como Educador Universitário.
A minha impressão inicial mudou completamente. Tanto que, quando me formei e saí do Programa, não consegui ficar sem freqüentar a escola aos sábados e domingos. Me tornei voluntário, nada oficial, mas toda semana eu aparecia na escola para dar uma ajuda.
Enfim, o tempo passou e me tornei um professor com capacidade e experiência graças ao Programa Escola da Família. Passou um ano, não consegui ficar afastado do Programa e me inscrevi para ser Educador Profissional.  Comecei como educador substituto e, no próximo ano, pretendo me tornar um Educar Profissional de alguma escola fixa. Agradeço a todos!

 
Rafael Dias Nicácio - Ex Educador Universitário - EE Presidente Kennedy - DE Sul 1

Uma segunda visão de futuro

Em 2004, quando estava prestes a terminar o Ensino Médio, comecei a planejar o meu futuro: fazer uma faculdade de Administração de Empresas, visando uma carreira profissional no mundo dos negócios, que sempre me fascinou. Fui em busca do meu sonho e, ao longo de minha formação, tive a certeza que era essa a minha vocação.
Desde o início da faculdade eu fiz parte do Programa Escola da Família. O que eu não sabia era que, ao participar deste Programa, surgiria uma segunda visão de futuro em minha vida. A primeira era construir um empreendimento seguido de uma carreira de sucesso no mundo dos negócios e, a segunda, ser um professor bem sucedido.
Mesmo gostando de falar em público e ter facilidade para ensinar e variar os métodos, ser um professor não fazia parte dos meus sonhos. Mas o contato e o aprendizado com os participantes e freqüentadores do Programa despertou meu gosto pela profissão.
Atuar no Programa Escola da Família, ainda que não fosse exatamente um espelho da minha área profissional, fez com que uma nova experiência se tornasse parte de minha vida, e assim, um sonho e uma meta para um futuro próximo!
O Programa Escola da Família além de ser uma escola para futuros profissionais também é uma fábrica de sonhos.

 

Alan Guilherme Guimarães, aluno da EE Dalva Vieira Itavo– Olímpia (SP)

Experiências no Programa Escola da Família

Estou no Programa há 5 anos...
muitas foram as dificuldades...
mas as vitórias foram maiores
e tudo isso graças aos Educadores que pela Escola passaram...

Nunca eu poderei ter uma experiência melhor do que a que eu estou tendo agora. E devo tudo isso graças ao melhor Educador que uma escola pode ter. O Jeferson dos Santos é responsável, agradável, às vezes irônico e orgulhoso! Foi com ele que eu realizei meu primeiro projeto dentro do Programa Escola da Família, e é com ele que pretendo realizar o último.
Um dos projetos que eu mais me motivei a participar foi a "Campanha do Agasalho", em que conseguimos arrecadar cerca de 200 blusas, shorts, calças e cobertores, que foram entregues ao abrigo da cidade. Essa experiência não poderia ter sido melhor, pois todos puderam participar e se comover.

Hoje vejo que o passado está contido em poucas lembranças, mas, para mim, isso é até bom, pois posso pensar não só no meu futuro, mas no futuro das pessoas ao meu redor...
E como disse Willian Shakespeare "Aprende a nunca dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes, e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso". Essa frase vem me dando forças até hoje para prosseguir meu caminho... incentivando a futura nação desse lindo país, para que, na frente, eu saiba do que eu fui e do que eu sempre serei capaz de criar e desenvolver.

 
Marcos João Clososki - Voluntário
EE Luiz Gonzaga Pinto e Silva
São Paulo - DE Sul 2

Depoimento de um voluntário

Meu nome é Marcos João Clososki, tenho 46 anos e sou voluntário do Programa Escola da Família da EE Luiz Gonzaga Pinto e Silva, no bairro Jardim São Luiz (São Paulo, Capital),  DE Sul 2.

Iniciei o trabalho voluntário treinando minhas filhas no Vôlei, e, quando menos esperava, já havia uma série de meninas na de 10 a 14 anos querendo aprender a jogar. Como tenho ligações com o clube do São Paulo, pedi doações de materiais esportivos e conseguimos até uniformes completos para as atletas!

Hoje, o time Equipe Família de Vôlei joga, inclusive, em campeonatos. Várias meninas do time estão treinando em grandes clubes, como o SPFC, Banespa e Círculo Militar. No ano de 2008, fomos campeões dos jogos mirins de São Paulo!

É um trabalho extremamente gostoso de realizar! Não trabalho apenas com o objetivo de passar para estas meninas a importância do esporte (disciplina, companheirismo, responsabilidade), mas também, e talvez o principal, para apresentar a elas um caminho saudável e longe das drogas.

Bem, quem lê este depoimento deve estar orgulhoso do meu trabalho, mas, na realidade, estou aqui para exaltar que estas conquistas foram conseguidas graças à Educadora Profissional Maria Nazet. Além de ter extrema competência profissional, é uma pessoa que realmente se dedica ao máximo para atender os objetivos do Programa. Ela é nota mil! Se tivéssemos mais pessoas como ela, com certeza este mundo seria bem melhor! Um abraço do voluntário Marcos Clososki.

 
José Francisco de Souza Filho
Educador Universitário
EE José Bonifácio Carreta

Diretoria de Ensino de Capivari
“Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender”

Minha caminhada no Programa Escola da Família começou em março de 2006 e chega ao fim neste ano de 2008. Inicio agora uma nova etapa em minha vida, com a conclusão do curso de Pedagogia. Foram anos muito produtivos e de grandes amizades e companheirismo. Destaco todos os Educadores Profissionais das escolas em que atuei como Educador Universitário. À educadora Celi, da EE Dom Mateus Bispo, à Gestora Glória, da EE Benedita Wagner, dedico meu grande abraço por todo o carinho. Ao Educador Amauri e à Gestora Virginia, da cidade de Rio das Pedras e à minha atual Educadora, Sheila, da EE Padre José Bonifácio Carreta, que sempre esteve ao meu lado neste ano, um forte abraço. À Supervisora Deise e à PCOP Edna, meu muito obrigado!

A vocês dedico esta frase de Paulo Freire: “quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender”.

 

Camila Molina – Educadora Universitária EE Wilson Rachid Paulo César C. Rosário – Educador Profissional

Universitários da Alegria
“Sem que eu me desse conta, o projeto tomou uma proporção extraordinária”

Quando fiz minha inscrição para o PEF, achava que era só por conta da bolsa na faculdade... O tempo foi passando e pude perceber a essência do Programa Escola da Família. Um projeto em favor da causa social, pela comunidade. Percebi então, que a minha participação, ali, podia ser além do que eu esperava. Idéias foram surgindo até eu chegar a um projeto, que sem que eu me desse conta, tomou uma proporção extraordinária. Surgiu então o projeto “Universitários da Alegria”. Por meio desse projeto, visitamos as crianças internadas no Hospital Santa Marcelina do Itaim Paulista. A idéia, a princípio, era ir ao hospital e fazer algumas brincadeiras com as crianças. Mas tenho um Educador Profissional que, assim como eu, consegue enxergar além dos horizontes. Ele deu a idéia de convidarmos outras escolas para participar desse projeto, o que deu muito certo. Hoje contamos com aproximadamente 22 universitários (Camila, Carol, Douglas, Hinaian, Lucas, Rodrigo, Rose, Simone, Tânia, Danilo, Claudio, Renata, Regiane, Diego, Rosangela, Domingas, Marcus, Patrícia, Nilson, Rômulo, Aline e Cida) e 3 voluntários (Bruna, Gisele e Anderson), de sete escolas (Wilson Rachid, Dulce Leite, José Bustamante, Antônio de Pádua, Reverendo Mattathias, João Prado e Renato Dias) da região, que se dispõe em ir até o hospital por essa causa tão nobre. Aproveito para agradecer a todos, universitários, educadores profissionais e voluntários, que colaboram nesse projeto! É muito bom saber que nossa vida pode transformar a vida de alguém nem que seja por algumas horinhas... Valeu!  

 

Sandra Professora Coordenadora da Oficina Pedagógica – Projetos Especiais Diretoria de Ensino - Região de Votuporanga

À Coordenação Geral do Programa Escola da Família,

Gostaria apenas de registrar a grande mobilização e felicidade das escolas que tiveram seus delegados selecionados para a I Conferência Estadual Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente. Vocês não têm idéia da alegria por parte destes jovens e suas escolas! A Escola de Nova Luzitânia é uma dessas que está a mil. A carta de responsabilidades da escola foi entregue ao Sr. Prefeito pelas mãos da Delegada, juntamente com todo grupo do Coletivo Jovem (montado pelos próprios jovens do município). O Prefeito leu, protocolou, deu ciência e encaminhou para os demais órgãos do município analisarem e darem ciência também! Na reunião com os alunos, o Prefeito sugeriu que agendassem uma visita à UNESP, em Araçatuba, para aprenderem a medir a qualidade do ar (talvez até irá implantar a medição em Nova Luzitânia), e visitassem a bacia hidrográfica. O Prefeito também convidou o grupo para uma nova reunião e pediu aos alunos que fizessem uma reportagem para ele publicar no jornal. Muito bom, não é ?... Eu também estou muito feliz com os resultados, juntamente com a Professora Coordenadora da Oficina Pedagógica de Geografia, Daniela (que muito tem me apoiado). Agradeço a oportunidade e percebo que o primeiro passo foi dado. Agora os jovens darão continuidade aos trabalhos. Parabéns à Coordenação pela iniciativa!  

 

Educador Profissional Sergio Nascimento
E.E. Professora Nair Hiroko Konno Hashimoto
Diretoria de Ensino Sul-1

Sobre o Evento Cultural do Programa Escola da Familia
Estou no programa há mais de cinco anos...
As dificuldades não foram poucas...
Os desafios foram muitos...
Os obstáculos, muitas vezes, pareciam intransponíveis.
Muitas vezes me senti só. E assim o estive...
O desânimo quis me contagiar, porém, a garra e a tenacidade foram mais fortes, sobrepuseram-se a esse sentimento, fazendo-me seguir a caminhada, apesar da sinuosidade do caminho.

Agora, ao olhar para trás, a sensação do dever cumprido se faz presente e posso constatar que as noites de sono perdidas, as viagens canceladas, o encontro de final de semana com a família perdido; o cansaço das reuniões, os longos tempos de leitura, digitação, discussão; a ansiedade em querer fazer e a angústia de muitas vezes não o conseguir, por problemas estruturais, não foram em vão.
Aqui estou, como sobrevivente de uma longa batalha, porém, muito mais forte e com coragem suficiente para mudar a minha postura, apesar de todos os percalços...
Algumas pessoas marcaram a minha vida para sempre, umas porque me ajudaram na construção, outras porque me apresentaram projetos de sonho e outras ainda porque me desafiaram a construí-los. Porém, quando me dei conta, já era tarde para lhes agradecer. Por isso meus agradecimentos a todos que fizeram possível a concretização deste trabalho e a realização de mais um sonho, em especial ao Programa Escola da Família. 

Como dizia Antoine Saint Exupèry em sua obra prima “O Pequeno Príncipe”:
“Foi o tempo que perdeste com a tua rosa, que fez a tua rosa tão importante”

Relato de Educadores: “Karate Educação – Lutando pela PAZ”

 

Leni Helena G. Justo
Santo André - SP
Novembro 2008

Olá amigos do Programa Escola da Família
 
Desejo manifestar meu agradecimento ao Programa Escola da Família pelas atividades realizadas na E.E. Camilo Peduti – Diretoria da Região de Santo André. Comecei este ano a estudar Espanhol nessa escola e, com as aulas, me sinto mais preparada por conhecer outro idioma.  Temos uma aula por semana, com duração de uma hora, aos sábados pela manhã. Estou gostando muito do que já aprendi até agora e sinto que posso ir à Espanha e me defender com o que já sei da língua.
 

Eliezer Harthopf, 23, foi voluntário e Educador Universitário do Programa
Escola da Família na Diretoria de Mirante do Paranapanema
Novembro 2008

Olá equipe do Programa Escola da Família,

Meu nome é Eliezer Harthopf, tenho 23 anos e moro em Presidente Prudente. Fui voluntário no Programa Escola da Família e logo em seguida ingressei como Educador Universitário na EE Francisca Messa Gutierrez, em Rosana. Me formei ano passado e hoje já trabalho na minha área. Gostaria de relatar uma experiência que me emocionou no último final da semana.
Como sou cantor, fui convidado pela diretora da escola Messa, dona Orlete Ferraz, e pela Educadora Profissional, Silvana Vasconcelos, para homenagear os 5 anos do Programa. Logo que cheguei à escola em que trabalhei por três anos, me deparei com Alisson, um garoto com o qual tive a oportunidade de conviver por alguns meses em 2007. Ele chegou ao Programa por meio de uma medida educativa, pois estava causando vários problemas na escola e na comunidade. Era tido como perdido por muitos, inclusive por mim. Um garoto que ninguém dava valor, pelo seu histórico e seu jeito rude de ser. Por várias vezes a diretora Orlete foi questionada e até criticada por não expulsar o garoto da escola.
Pois bem, mudei-me no ano passado e fui morar em outra cidade. Nesse período, tive pouco contato com a escola. Nessa última visita, não acreditei no que vi. Tive que perguntar para um voluntário se aquele era realmente o Alisson que eu havia convivido. Para o meu espanto e felicidade, o garoto hoje está totalmente transformado, algo incrível, uma transformação que, podem ter certeza, me arrepiou e me deixou muito emocionado. Minha comoção foi tanta que fui obter informações sobre ele. Graças ao apoio da equipe do Programa na Escola Messa e da diretora, que tanto foi criticada, hoje ele participa da banda da escola - projeto da voluntária Jacira -, é responsável por várias coisas no Programa e seu desempenho nas aulas está melhorando a cada dia. Pela primeira vez, fiquei feliz em ter me enganado e mais feliz ainda por saber que uma vida foi resgatada, vida que talvez se tornasse um problema na sociedade.
Estou muito orgulhoso de ter feito parte do Programa como voluntário e Educador Universitário e de saber que muitas pessoas são tiradas do mundo das drogas e podem sim ter um futuro melhor, tornarem-se um orgulho e provarem o contrário àqueles que não acreditaram nelas. O melhor ainda é saber que existem pessoas que dão uma chance a esses, tidos como "perdidos".
Parabéns ao Escola da Família, à Orlete, Silvana, toda a equipe do Programa da escola Messa, que desenvolveu um belíssimo trabalho. E também às equipes de outras localidades, que, com certeza, já devem ter feito o mesmo por outros jovens. Continuem assim, transformando vidas e fazendo esse projeto valer a pena!

 

EE Profª Glete de Alcântara
D.E. Região de Ribeirão Preto – SP
Anderson George de Assis
Educador Profissional
Setembro 2008

Profissões indispensáveis ao progresso e bem estar da comunidade são qualificadas pelas equipes escolar e do Programa Escola da Família.

A qualidade e a formação profissional, de uma maneira geral, estão associadas à complexidade das profissões e à importância de sua atuação na economia de determinada sociedade . Enquanto algumas áreas de estudo já capacitam previamente os futuros profissionais, como por exemplo o instrumentador cirúrgico, em outras profissões - Letrista e Cartazista, por exemplo – a exigência se limita a conhecimentos básicos inerentes a elas. Pensando nessa dificuldade, a equipe escolar da EE Profª. Glete de Alcântara e do Programa Escola da Família encontraram uma saída para qualificar os profissionais da própria comunidade em determinadas áreas de trabalho. Foram oferecidos cursos de Hidráulica e Letrista/Cartazista, que proporcionam aos seus participantes uma entrada imediata no mercado de trabalho, pois essas profissões são necessárias em qualquer região da cidade. Com aulas teóricas e práticas, esses cursos promovem a independência financeira de seus alunos. Sabedores de que o único caminho para o progresso da sociedade é a Educação, a equipe do Programa Escola da Família, juntamente com a equipe escolar, arregaçou as mangas e se colocou a serviço da comunidade da EE. Profª Glete de Alcântara.

 

Ex-Educador Profissional
Sergio Nascimento
U.E. Nair Hiroko – DE Sul 1
Agosto/2008

Na hora da partida...
O mais difícil não é a saída.
Tão pouco a despedida.
Difícil é a partilha.

Dói nesta hora referida...
Deixar para trás coisas construídas...
Que se foi juntando durante toda uma vida.
Fácil é curar as feridas... Deixar mágoas adormecidas.

Na hora da partida...
É fácil esquecer coisas sofridas...
E saber que já se foi esquecido...
Que há muito não se é querido.

Dói nesta hora ver surgida...
Não restar outra alternativa...
Que não lutar e recomeçar a vida...
Esquecendo quem nos manteve iludido.

O que dói na hora da partida...
Não é abandonar guerras vencidas...
Tão pouco as batalhas perdidas...
Quando resta esperança... Expectativas.

Na hora da partida...
É jubiloso sentir-se nutrido...
Capaz de uma atitude revertida...
Em busca de uma existência rejuvenescida.

Somente dói, nesta hora antes repelida...
Saber o tanto que se fez sem ser reconhecido.
Ter a sensação dolorida...
De que se é Metade... Está-se repartida.

Na hora da partida...
É maravilhoso abandonar estigmas.
Reconfortante largar enigmas.
E recomeçar... Interativo.

Sem medo... Enfrentar tudo sem fadiga...
Largar tudo... Sem tornar-se inimigo.
Recomeçar... Em novo ponto de partida.
Confiante... Na própria investida.

 
Luiz Carlos M Souza
ATP do Programa
Diretoria de Ensino Região Sul1
Julho de 2008

OUSAR É NECESSÁRIO
“Construir trabalho em equipe é tarefa para seres fortes e pensantes. É preciso vencer o individualismo e o egocentrismo. Pensar no individualismo e no egocentrismo nos remete à busca do interesse próprio sem preocupação com o outro; quando assim o fazemos, perdemos a oportunidade de compartilhar saberes”. “No trabalho em equipe não existe competição, somente cooperação entre todos os pares. A predominância dos interesses deixa de ser individualista e passa a ter como foco principal o coletivo”. Ousar é necessário na busca pela eficiência do trabalho coletivo.” Partindo dessa reflexão, nós da Equipe do Programa Escola da Família, desta Diretoria, constituída por 34 Unidades Escolares, Gestores, Educadores Profissionais, Monitores Educacionais, Educadores Universitários, ATP Prof Luiz, Consultores Técnicos, Profª Vera, Prof João Batista, Profª Vanessa, Supervisora de Ensino Profª Neuza e com apoio da Dirigente Regional de Ensino, Profª Beatriz Muzi, podemos dizer que construímos uma história de conquistas que melhorou a qualidade de vida de toda a comunidade pertencente a esta Diretoria, através das ações do PEF nos finais de semana. Vale ressaltar que as parcerias e os Educadores Voluntários exerceram papel fundamental no sucesso alcançado por todos nós. Nossos agradecimentos a todos que compartilharam conosco essas realizações.

 
Sandra Carina de Souza
Participante do PEF da comunidade
EE Silvestre de Lima
DE Região de Barretos
Julho/2008
Gostaria de falar sobre o Programa Escola da Família. Por intermédio de meus filhos, tomei conhecimento do Programa e pude ter acesso a vários cursos que são oferecidos, tanto aos alunos como aos pais, vizinhos, comunidade e àquelas pessoas que procuram se atualizar e se capacitar em alguma área do conhecimento. Fiz o curso de "Auxiliar Administrativo" e aprendi muito, pois todas as aulas me trouxeram novos conhecimentos e esclarecimentos. Conheci outras pessoas e troquei experiências de vida. Esse curso foi uma atividade maravilhosa que me motivou a sempre buscar mais conhecimento para fortalecer minha vida pessoal e profissional. Agradeço ao PEF por dar-me essa oportunidade.
 
Alexandre Fresie
EE Leonor Quadros
Diretoria de Ensino Região Sul 1
Julho/2008
Olá, Chamo-me Alexandre Fresie e realizo o Projeto de Aprendiz de Operador de Telemarketing aos sábados e domingos, das 10h30 às 12h00. Acredito que o Programa Escola da Família veio para fortalecer a Educação no Estado de São Paulo. Muitas pessoas participam do meu projeto e são capacitadas para o mundo do emprego. Uma parceria com a Microlins nos ajuda nesse processo de qualificação profissional. Gostaria de parabenizar a Supervisora do Programa da Diretoria de Ensino Região Sul 1, Dona Neusa, que atua no PEF a 5 anos, o Educador Profissional Fabinho, a Gestora Dona Orley e os meus alunos que acreditam no meu trabalho. Vale a pena lutar ! Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expresse sua opinião... Difícil é expressar por gestos e atitudes, o que realmente queremos dizer. Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias... Difícil é encontrar e refletir sobre os próprios erros. Fácil é fazer companhia a alguém, dizer o que ela deseja ouvir... Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer a verdade quando for preciso. Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre a mesma... Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer.
 
Rodrigo Aparecido Araújo Nunes
Educador Universitário
E.E Wilson Rachid
Diretoria de Ensino Leste 2
Julho de 2008
Participo do Programa Escola da Família como Educador Universitário pela Faculdade Sumaré, e estou no 8°semestre. Sempre lutei para fazer a diferença e com esse espírito, trabalho realizando campeonatos de Futsal e outras atividades com a comunidade onde moro. A Federação Paulista de Futsal fez doação de camisetas da campanha "Futsal - Um Sonho Olímpico" que muito incentivou os atletas. Sempre procuro incentivar e orientar a comunidade para que possa seguir um caminho próspero, seja ele no futsal ou em qualquer outro ramo profissional. Considero o esporte uma opção para uma vida melhor. A escola está localizada na zona leste de São Paulo, no bairro do Itaim Paulista, um bairro pobre de onde saíram jogadores muito importantes para o futsal. Um jogador de destaque é o GODA, que passou por muitos times no Brasil, ficou alguns anos na Espanha, voltou para o clube Intelli de Orlândia e, atualmente, está disputando a Liga Futsal pelo Clube Carlos Barbosa. Sempre que possível, ele vai até a escola dar palestras para a garotada, ministrando conhecimentos que muitas crianças não têm dentro de casa, mostrando que não basta apenas ser um hábil jogador, mas ter disciplina, força de vontade, educação, bom caráter, dedicação para então alcançar o sucesso. Goda é um jogador de caráter íntegro, que conseguiu uma vida melhor por meio do esporte.
 
Ângela Aparecida dos Santos
Educadora Profissional
EE Profª. Ilga Pusplatais
DE Região de São José dos Campos
julho de 2008
Neste mês de julho, implantamos nossa 1ª colônia de férias com atividades diversificadas, tais como: dança da cadeira, corrida do saco, oficina de pipas, pintura em rosto, bexiga com água e muito mais... Está sendo um sucesso! Os pais trazem os filhos e acabam nos auxiliando nas atividades. Só mesmo o PEF para nos proporcionar esses momentos tão agradáveis e prazerosos.
 
Sandra Mércia Peguim
ATP do PEF
Diretoria de Ensino Região de Votuporanga
Julho/2008
Cara Mary e queridos da Coordenação Geral

Fui surpreendida por um dos universitários que agradeceu a confiança que estávamos depositando nele, uma vez que faz parte do Programa Escola da Família desde março de 2008. Disse que alguns universitários, com quem conversou, reclamavam por deixar suas famílias aos finais de semana para trabalhar no Programa. Ele não concorda com essa opinião, pois o principal para ele é acolher crianças e jovens, que poderiam ficar pelas ruas, e que o Programa Escola da Família lhe proporciona a oportunidade de representar uma família para essas pessoas. Este universitário mudou de cidade e quer continuar trabalhando na escola para a qual foi designado. Mesmo viajando todos os finais de semana para casa, ele se sente feliz por fazer algo por alguém. Outro universitário veio até a Coordenação agradecer também, e como obteve um retorno nosso, sentiu-se prestigiado e mais motivado. O que gostaria neste relato é transmitir a vocês todos os elogios e depoimentos de que fui testemunha e que tanto me sensibilizaram.

 
Jonas Ricardo Sereno de Macedo
Educador Profissional
EE.Irmãos Ismael
Município: Onda Verde
D.E.R.São José do Rio Preto
Julho/2008
“Escola da Família – espaço da diversidade e da pluralidade cultural”

Atuo no Programa Escola da Família desde sua inauguração: agosto de 2003. Na época, contratado como Educador Profissional da EE. Prof.Antonio de Barros Serra. Por lá fiquei até o ano de 2006, quando passei por uma nova experiência: Educador Profissional Substituto. Nesse ano, pude acompanhar diferentes experiências de sucesso: jovens que deixaram de ser problema e passaram a fazer parte da solução, pessoas que fizeram do Programa uma verdadeira terapia, curando-se de problemas de saúde, membros da comunidade que, sem perspectiva de vida, através da qualificação adquirida nas oficinas das escolas, agora recebem o seu ganha pão, a emoção de idosos ao conseguirem ler e escrever seu próprio nome ... Desde fevereiro de 2007, encontro-me novamente como Educador Profissional da E.E.Irmãos Ismael, município vizinho de Rio Preto, Onda Verde, no qual permaneci até hoje, e agora irei me dedicar a outras esferas de experiência. Jamais me esquecerei do PEF e, com certeza, levarei tudo o que vivenciei, tudo o que aprendi, e me lembrarei sempre de todas as pessoas que passaram por mim ..
.
 
Fabiana Silva de Oliveira
Educadora Universitária
EE José Joaquim Cardoso de Mello Neto
Diretoria de Ensino Região Sul2
Julho/2008
Foi muito gratificante a aula de empreendedorismo, que focou a vida, o indivíduo, o sucesso profissional e pessoal, com um olhar especial para nossa comunidade. Só temos a ganhar quando passamos adiante os conhecimentos adquiridos, pois conhecimentos guardados são inócuos, não modificam a realidade. Por isso, a importância do projeto e do incentivo a mais capacitações como essa. Parabenizamos as palestrantes pela maneira simples e fácil na explanação de assuntos tão significativos para o nosso dia-a-dia. Nesses 3 anos de participação no Programa Escola da Família, só tivemos ganhos, e cada olhar, gesto, carinho, endereçados a nossa comunidade, é inspiração divina e um conhecimento a mais em nossa vida.
 
Sergio Nascimento
Educador Profissional
EE Nair Hiroko
Diretoria de Ensino Sul1
Julho/2008
MENSAGEM AOS EDUCADORES
Todo ser, quando nasce, pertence a uma família,
Que pertence a uma cultura
Que pertence a uma sociedade.
A escola pertence à sociedade...
Uma segunda família...
É aqui que crescemos, é aqui que estudamos, e é aqui que brincamos...
Todos juntos somos a força...
Somos a colaboração...
O comprometimento...
Desta base de concreto...
Fazer pulsar um coração...
Nossos filhos, nossos netos, primos, sobrinhos e alunos...
Nossas crianças...
Pureza da alma, consciência desperta...
São a luz e a esperança...
O desenvolver da semente...
O desabrochar da flor...
Tudo cresce, necessita de cuidados...
Amor, carinho e dedicação.
A escola não é apenas berço de conhecimentos...
É lugar de recreação...
Onde surge o espírito de liberdade em parceria à responsabilidade...
A escola não é escola, se não houver crianças, pais, educadores, colaboradores...
Uma família não pode existir, se houver apenas um membro
A família e isso...
Somos eu, você e todos juntos...
E porque não unir o que há de mais bonito
A família e a escola
A escola da família


 
Cristiane Monteiro
Educadora Universitária
Escola: EE Dr. Wilquem Manoel Neves
Diretoria de Ensino - Região de Barretos
Julho/2008

Olá! Começamos na EE Dr. Wilquem Manoel Neves com um Projeto sobre Orientação Profissional. Atualmente, no 6º encontro, estamos tendo a oportunidade de vivenciar grandes experiências com os alunos. O ponto principal do projeto, que gostaria de destacar, foi a falta de conhecimento dos alunos sobre "Orientação Profissional" que supunham ser um privilégio somente oferecido a alunos de escolas particulares. Acreditamos que estamos proporcionando aos jovens perspectivas de futuro, apresentando-lhes várias profissões, existentes atualmente no mercado de trabalho. Após uma dinâmica chamada "O que quero ser quando crescer", diagnosticamos os anseios e dúvidas, com que os jovens se deparam em relação ao seu futuro. Desta maneira, vale ressaltar que o Programa Escola da Família está presente na vida do jovem, também para auxiliá-lo em uma decisão tão importante em sua vida: a escolha da profissão.
 

Arquivo de Depoimentos 2011

Arquivo de Depoimentos 2010

Arquivo de Depoimentos 2009

Arquivo de Depoimentos 2008

 

 

 

 


Todos os Direitos Reservados
Governo do Estado de São Paulo. Secretaria da Educação
Fundação Para o Desenvolvimento da Educação
2009-2009

Melhor visualização no Internet Explorer versão 6.0 ou acima.